Islão e Alcorão
Al Baqarah 2/35

Al Baqarah 2/35

Al Baqarah 2/35

Dissemos: “Ó Adão! Habita o jardim com a teu cônjuge, comei fartamente, onde quiserdes, porém, não vos aproximeis desta árvore, pois vos contareis entre os injustos.

وَقُلْنَا يَٓا اٰدَمُ اسْكُنْ اَنْتَ وَزَوْجُكَ الْجَنَّةَ وَكُلَا مِنْهَا رَغَدًا حَيْثُ شِئْتُمَاۖ وَلَا تَقْرَبَا هٰذِهِ الشَّجَرَةَ فَتَكُونَا مِنَ الظَّالِم۪ينَ

Al Baqarah 2/35
[¹] Esse lugar é um jardim na terra. Em árabe, “jannah = جنــة” é um local com vegetação. De acordo com al-Bácara 2:30, Adão foi criado na Terra e foi ensinado o conhecimento dos seres que existem nela. De acordo com al-A’raf 7:25, Adam e todos os seus descendentes viverá, morrerá e será ressuscitado no Dia do Nascer na Terra. Não há evidências únicas para afirmar que Adão e Eva foram levados para outro lugar que não a Terra. O lugar onde eles estavam habitados não pode ser “A Jannah (Céu)” que os crentes habitarão na Outra Vida. Que “Jannah” não é o lugar para ser testado, mas para ser recompensado. Portanto, a mencionada “jannah” não é o céu, mas é um jardim neste mundo.

E dissemos: "Ó Adão! Habita, tu e tua mulher, o Paraíso, e dele comei, fartamente, onde quiserdes, e não vos aproximeis desta árvore[¹] pois seríeis dos injustos." 
 (Dr. Helmi Nasr, 2015)

[¹] A árvore proibida: o meio de experimentar a perseverança do homem. O Alcorão alude à ela muito laconicamente, sem especificar-lhe a espécie ou a localização, e vão será que indaguemos mais à respeito dela, já que todos estes assuntos pertencem ao mundo invisível, inacessível ao homem.
Determinamos: Ó Adão, habita o Paraíso(13) com a tua esposa e desfrutai dele com a prodigalidade que vos aprouver; porém, não vos aproximeis desta árvore, porque vos contareis entre os iníquos.
 (Prof. Samir El Hayek, 1974)

[¹] Seria o Paraíso um lugar nesta terra: obviamente não. Porque, segundo o versículo subseqüente, o 36, foi depois da Queda que a sentença foi pronunciada: "Na terra tereis residência a gozo transitórios". Antes da Queda, é de supor-se que o homem estivesse em outro plano — de felicidade, inocência, confiança, enfim, numa existência espiritual, onde imperava a negação da inimizade, prevalecia o desejo da fé, e de onde se bania todo o malefício. Talvez o tempo e o espaço também não existissem, e o Paraíso fosse algo alegórico, como a árvore. Esta não era a do conhecimento, porquanto foi concedido ao homem, naquele perfeito estado, um conhecimento mais pleno do que o que ele desfruta atualmente; era a árvore do mal, de cujos frutos ele ficou proibido, não só de comer, mas também de se aproximar.
E dissemos a Adão: “Habita o Paraíso com tua esposa, e comei à vontade do que quiserdes; mas não vos aproximeis desta árvore: seríeis transgressores.”
(Mansour Challita, 1970)
E Nós dissemos: ‘Oh Adão, reside tu com lua mulher no jardim, e come de lá à vontade onde quiseres, mas não te aproximes desta árvore, para que não sejas dos que fazem o mal. 
 (Iqbal Najam, 1988)
2- Sura Al Baqarah

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 161 162 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 177 178 179 180 181 182 183 184 185 186 187 188 189 190 191 192 193 194 195 196 197 198 199 200 201 202 203 204 205 206 207 208 209 210 211 212 213 214 215 216 217 218 219 220 221 222 223 224 225 226 227 228 229 230 231 232 233 234 235 236 237 238 239 240 241 242 243 244 245 246 247 248 249 250 251 252 253 254 255 256 257 258 259 260 261 262 263 264 265 266 267 268 269 270 271 272 273 274 275 276 277 278 279 280 281 282 283 284 285 286

Most Viewed Posts