Islão e Alcorão
Pintura e Escultura no Alcorão

Pintura e Escultura no Alcorão

 

Qual é a decisão de desenhar ilustrações de criaturas vivas e especialmente caricaturas de pessoas? Qual é a decisão islâmica sobre a arte da escultura e ter manequins em lojas de roupas?

Desenhar pinturas, caricaturas ou fazer esculturas de criaturas vivas não é proibido por nenhum verso no Alcorão. Contrariamente, nos versículos a que vamos nos referir abaixo, seus benefícios são mencionados.

Deus Todo-Poderoso fala favoravelmente sobre Jesus (as) fazendo uma escultura de pássaro:

 إِوَإِذْ تَخْلُقُ مِنَ الطِّينِ كَهَيْئَةِ الطَّيْرِ بِإِذْنِي فَتَنْفُخُ فِيهَا فَتَكُونُ طَيْرًا بِإِذْنِي وَتُبْرِئُ الْأَكْمَهَ وَالْأَبْرَصَ بِإِذْنِي وَإِذْ تُخْرِجُ الْمَوْتَى بِإِذْنِي وَإِذْ كَفَفْتُ بَنِي إِسْرَائِيلَ عَنْكَ إِذْ جِئْتَهُمْ بِالْبَيِّنَاتِ فَقَالَ الَّذِينَ كَفَرُوا مِنْهُمْ إِنْ هَذَا إِلَّا سِحْرٌ مُبِينٌ

“De quando, com o Meu beneplácito, plasmaste de barro algo semelhante a um pássaro e, alentando-o, eis que se transformou, com o Meu beneplácito, em um pássaro vivente.” (Al Máida 5:110)

Messias (as) fez uma figura de pássaro de barro. Sem dúvida, isso foi uma escultura. Depois, esta escultura tornou-se um verdadeiro pássaro pela permissão de Deus. Este incidente foi uma das provas de que Jesus (as) era o mensageiro de Deus.

Algumas pessoas podem pensar que este verso não pode servir como evidência para a permissibilidade de fazer pinturas e esculturas de criaturas vivas, como pode ser defendido que tal evento miraculoso não será uma evidência para uma decisão geral sobre pintura e escultura.

Essa objeção não é razoável, porque nenhum profeta (nabi) pode fazer algo proibido (haraam) e depois apresentá-lo como um milagre para as pessoas. Os versos seguintes eliminam absolutamente as suspeitas. O Deus Todo-Poderoso usa essas expressões favoráveis sobre os gênios (criaturas invisíveis) que foram submetidos ao Profeta Salomão (as):

يَعْمَلُونَ لَهُ مَا يَشَاءُ مِنْ مَحَارِيبَ وَتَمَاثِيلَ وَجِفَانٍ كَالْجَوَابِ وَقُدُورٍ رَاسِيَاتٍ اعْمَلُوا آَلَ دَاوُودَ شُكْرًا وَقَلِيلٌ مِنْ عِبَادِيَ الشَّكُورُ

“Executaram, para ele, tudo quanto desejava: arcos, estátuas, grandes vasilhas como reservatórios, e resistentes caldeiras de cobre.  (E dissemos): Trabalhai, ó familiares de Davi, com agradecimento! Quão poucos são os agradecidos, entre os Meus servos!” (Sabá 34:13)

Este versículo certamente prova que o Profeta Salomão (as) ordenou aos gênios que fizessem esculturas. Nenhum nabi (profeta) pode ordenar algo proibido a ser feito. Ao contrário, Deus Todo-Poderoso, fala favoravelmente dos gênios fazer esculturas de profeta Salomão (as). Ele até menciona no final do verso que esses assuntos fazem parte do cumprimento de seus deveres.

A maioria dos estudiosos teve dificuldades em compreender as narrações críticas sobre pintura e escultura, porque eles não se importavam com a relação entre as narrações do Mensageiro de Deus (as) e os versos que mencionamos acima. Por outro lado, eles não examinaram as razões da ocorrência desses hadices. Eventualmente, eles não poderiam fazer o julgamento correto sobre esse assunto.

Como Devemos Entender As Narrações (Hadices) que Desaprovam a Pintura?

Existem algumas narrações (hadices) que depreciam a pintura. A razão disso – como é entendido dos hadices – é a ideia de que as pinturas imitam a criação de Deus e exaltam os outros além de Deus. Os hadices começando como “Aqueles que imitam a criação de Deus…” ou “Aqueles que tentam se assemelhar a Deus na questão de criar…” são exemplos dessa ideia.

Adorar outra coisa senão Deus é, sem dúvida, um exemplo de blasfêmia. Adorar a uma escultura, uma pessoa ou objetos da natureza, como o Sol e a Lua, são exemplos de idolatria que causam blasfêmia. No entanto, ninguém pode dizer que uma determinada coisa ou sua produção é proibida apenas porque é usada como um meio de idolatria. Cristãos adoram Jesus e a mãe dele, mas nós oramos por eles dois e os apoiamos. Algumas tribos adoram o Sol e a Lua, mas acreditamos que eles são sinais de Deus.

Se uma tribo adorasse carros, isso não faria com que os carros fabricados para transporte fossem proibidos em religião.

Quanto à alegação de imitação, o Alcorão pode refutá-lo com apenas um verso. Os seguintes versículos expressam que o humano nunca pode imitar a maneira como Deus criou:

أَمْ جَعَلُوا لِلَّهِ شُرَكَاءَ خَلَقُوا كَخَلْقِهِ فَتَشَابَهَ الْخَلْقُ عَلَيْهِمْ قُلِ اللَّهُ خَالِقُ كُلِّ شَيْءٍ وَهُوَ الْوَاحِدُ الْقَهَّارُ

“Atribuem, acaso, a Allah parceiros, que criaram algo como a Sua criação, de tal modo que a criação lhes pareça similar? Dize: Allah é o Criador de todas as coisas, porque Ele é o Único, o Irresistibilíssimo.” (Ar Ra’d 13:16)

Este versículo expressa claramente que não há razão lógica para uma pessoa adorar qualquer coisa ou alguém que não seja Deus, porque as qualificações do Deus Criador são tão únicas que não podem ser comparadas à criação de outra pessoa. Além disso, o versículo chama a atenção para a incapacidade dos supostos associados em criar coisas como Deus criou.

Deus, o Todo-Poderoso, decreta:

 أَمْ خُلِقُوا مِنْ غَيْرِ شَيْءٍ أَمْ هُمُ الْخَالِقُونَ. أَمْ خَلَقُوا السَّمَاوَاتِ وَالْأَرْضَ بَل لَا يُوقِنُونَ

“Porventura, não foram eles criados do nada, ou são eles os criadores? Ou criaram, acaso, os céus e a terra? Qual! Não se persuadirão!” (At Tur – 52:35-36)

Este versículo revela que o humano nada mais é do que um ser criado.

Se todas as pessoas se unissem para criar algo como Deus criou, elas nem podem criar uma mosca.

Deus, o Todo-Poderoso, decreta:

 يَا أَيُّهَا النَّاسُ ضُرِبَ مَثَلٌ فَاسْتَمِعُوا لَهُ إِنَّ الَّذِينَ تَدْعُونَ مِنْ دُونِ اللَّهِ لَنْ يَخْلُقُوا ذُبَابًا وَلَوِ اجْتَمَعُوا لَهُ وَإِنْ يَسْلُبْهُمُ الذُّبَابُ شَيْئًا لَا يَسْتَنْقِذُوهُ مِنْهُ ضَعُفَ الطَّالِبُ وَالْمَطْلُوبُ. مَا قَدَرُوا اللَّهَ حَقَّ قَدْرِهِ إِنَّ اللَّهَ لَقَوِيٌّ عَزِيزٌ

“Ó humanos, eis um exemplo; escutai-o, pois: Aqueles que invocais, em vez de Allah, jamais poderiam criar uma mosca; ainda que, para isso, se juntassem todos. E se a mosca lhes arrebatasse algo, não poderiam dela tirá-lo, porque tanto o solicitador como o solicitado, são impotentes. Não fazem uma estimativa de Allah como (Ele) merece.  Saibam eles que Allah é Forte, Poderosíssimo.” (Al Hajj 22:73-74)

Os seres humanos não podem sequer criar uma mosca, não importa o quanto a ciência seja desenvolvida. Para as pessoas que pensam que podem criar algo como o Criador, a expressão “Não faz uma estimativa de Allah como (Ele) merece. ” se destaca.

Sem dúvida, as partes sobre imitar a criação de Deus nas narrações contradizem os versos que notificam que não é possível imitar a criação de Deus. Então, as narrações devem ser avaliadas à luz do Alcorão. Através desse método, seríamos mais cautelosos sobre narrações fracas e falsas (hadices). Não é correto fazer julgamentos sem considerar os versículos sobre o assunto.

Vamos ver a seguinte narração do Mensageiro de Deus que é relatado por Aisha (r.a.):

“Oh Aisha, aqueles que terão o tormento mais violento no dia do julgamento são os escultores.” [1]

Este hadice deve ser referido às pessoas que fazem ídolos para as pessoas adorarem.

Vemos um exemplo semelhante nos versículos narrando as objeções do Profeta Abraão (as) contra a adoração de sua tribo aos ídolos que foram esculpidos em madeira e pedra:

 إِذْ قَالَ لِأَبِيهِ وَقَوْمِهِ مَا هَذِهِ التَّمَاثِيلُ الَّتِي أَنْتُمْ لَهَا عَاكِفُونَ. قَالُوا وَجَدْنَا آَبَاءَنَا لَهَا عَابِدِينَ. قَالَ لَقَدْ كُنْتُمْ أَنْتُمْ وَآَبَاؤُكُمْ فِي ضَلَالٍ مُبِينٍ

“Ao perguntar ao seu pai e ao seu povo: Que significam esses ídolos, aos quais vos devotais? Responderam: Encontramos nossos pais a adorá-los. Disse-lhes (Abraão): Sem dúvida que vós e os vossos pais estais em evidente erro.” (Al Ambiyá 21:52-54)

Da mesma forma, o Profeta Moisés (as) protestou contra a escultura do bezerro que as pessoas consideravam como uma divindade, feita por Samiri. Foi porque o objetivo de fazer essa escultura foi desviar as pessoas de Deus. O Alcorão não se opõe a fazer esculturas, mas adorá-las.

A diferença entre os mandamentos de Salomão (as) para fazer esculturas e as objeções de Abraão e Moisés (as) contra a adoração de esculturas prova que a decisão islâmica sobre esculturas depende de seu objetivo de ser feita.

Não há dúvida de que é proibido (haraam) fazer esculturas com o objetivo de adorar. No entanto, quando consideramos os versos do Alcorão acima, vemos que não há espaço para dúvidas sobre a legitimidade de fazer esculturas por razões permissíveis, assim como Salomão (as) fez.

É narrado por Ibn Masud que Nabi (as) quebrou os ídolos ao redor da Ka’ba:

“O profeta (ﷺ) entrou em Meca e (naquela época) havia trezentos e sessenta ídolos ao redor do Ka`ba. Ele começou a apunhalar os ídolos com uma vara que tinha na mão e a recitar: “A verdade (o Islã) chegou e a falsidade (descrença) desapareceu”. De fato, a falsidade está fadada a desaparecer. (Al Isrá 17:81) (Bukhari, opressões, 2478)

Esses ídolos eram meios de transgressão que estavam sendo adorados. O Mensageiro de Deus (as), assim como o seu antepassado Abraão (as), quebrou-os para mostrar que eles não são nada para exaltar.

Da mesma forma, pintura e desenho caricaturas são lícitas, a menos que sejam utilizados como instrumentos de atos proibidos (haraam).

 

Most Viewed Posts