Islão e Alcorão
Al Maidah 5/43

Al Maidah 5/43

Al Maidah 5/43

Como eles te tomam por árbitro, enquanto têm a Tora e o julgamento de Deus nela? Te tomam por árbitro, e depois, viram as costas. Esses não são os que creem[¹][²]. 

وَكَيْفَ يُحَكِّمُونَكَ وَعِنْدَهُمُ التَّوْرٰيةُ ف۪يهَا حُكْمُ اللّٰهِ ثُمَّ يَتَوَلَّوْنَ مِنْ بَعْدِ ذٰلِكَۜ وَمَٓا اُو۬لٰٓئِكَ بِالْمُؤْمِن۪ينَ۟

Al Maidah 5/43
[¹] Esses não são os que creem (em ti, nem seus próprios livros).

[²] Um dia, um judeu e uma mulher que haviam cometido adultério foram levados a Profeta Muhammad (saws). Não havia sido revelado algum versículo sobre o adultério ainda. Quando ele soube que a penalidade para o adultério era o apedrejamento na Torá (Levítico 20 / 10-26), ele aplicou essa penalidade a eles (Bukhari, Hudud, 24). Os judeus que os enviaram ao Profeta (saws) porque esperavam que ele infligisse uma punição mais branda disseram: “Se vos é dado esse decreto, aceitai-o, se vos não é dado acautelai-vos” (Al Maidah 5/41) (Tabari). De acordo com outra narração, o evento que causou a revelação do versículo é o seguinte: Se um de Banu Qurayza matar um de Banu Nadir, ele seria morto. Mas se ele matasse um de Banu Qurayza, um resgate de cem vask (1 vask = 200 kg) tâmaras seria tomada dele. De acordo com a narração de Ibnu Zayd, Huyay b. Ahtebi determinava dois resgates para quem de Banu Nadir e um para quem de Banu Qurayza. Um dia, um dos Banu Nadir matou um dos Banu Qurayza, e o Banu Qurayza aplicou o decreto de nosso Profeta. O versículo foi revelado como um sinal disso. Resumindo, esses versículos foram revelados sobre a aplicação de não-muçulmanos ao governo do Islã (Elmalılı Hamdi Yazır).

Mas como eles te tomam por árbitro, enquanto têm a Tora em que há o julgamento de Allah? Em seguida, depois disso, voltam as costas. E esses não são os crentes.
 (Dr. Helmi Nasr, 2015)
Por que recorrem a ti[¹] por juiz, quando têm a Tora que encerra o Juízo de Deus? E mesmo depois disso, eles logo viram as costas. Estes em nada são fiéis.
 (Prof. Samir El Hayek, 1974)

[¹] Esta é uma pergunta minuciosa quanto às intenções dos judeus de levarem os seus casos para decisões ao Mensageiro. Eles iam ter com ele para ridicularizar o que fosse que ele dissesse, ou para enganá-lo quanto aos fatos, e para se apegarem a uma decisão favorável a eles e que estivesse contra a eqüidade. Se a sua própria lei não se coadunasse com os seus interesses egoísticos, eles muitas vezes a mudavam. Mohammad, porém, era sempre inflexível em sua justiça.
Como, porém, te tomariam por árbitro quando possuem a Tora que encerra o julgamento de Deus? Breve virariam as costas para ti e se afastariam. Eles não são crentes.
(Mansour Challita, 1970)
E como te farão eles o seu juiz quando tem consigo a Tora, no qual está o decreto de Allah? Não obstante, apesar disso eles voltam-te às costas; e certamente eles não crerão.
 (Iqbal Najam, 1988)
5- Sura Al Ma'idah

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120

Posts

Most Viewed Posts