Al Baqarah 2/219

Perguntam-te intoxicantes[¹] e jogos de azar[²]. Diz: “Em ambos há benefícios e malefícios[³] para os homens; porém, os seus malefícios são maiores do que os seus benefícios”[⁴]. E perguntam-te o que devem despender (em caridade). Diz: “O sobejo.[⁵]” Assim Deus vos elucida os Seus versículos, a fim de que refletis.

يَسْـَٔلُونَكَ عَنِ الْخَمْرِ وَالْمَيْسِرِۜ قُلْ ف۪يهِمَٓا اِثْمٌ كَب۪يرٌ وَمَنَافِعُ لِلنَّاسِۘ وَاِثْمُهُمَٓا اَكْبَرُ مِنْ نَفْعِهِمَاۜ وَيَسْـَٔلُونَكَ مَاذَا يُنْفِقُونَۜ قُلِ الْعَفْوَۜ كَذٰلِكَ يُبَيِّنُ اللّٰهُ لَكُمُ الْاٰيَاتِ لَعَلَّكُمْ تَتَفَكَّرُونَۙ

Al Baqarah 2/219
[¹] Em árabe, ‘khimar = الخمار’ cobertura da cabeça, ‘khamr = الخمر é o que cobre a mente. No sentido atual, são substâncias intoxicantes e narcóticas. O profeta Muhammad (saws) disse: “Todo intoxicante é khamr e todo khamr é ilegal” (Muslim, Ashriba, 73; Abu Dawud, Ashriba, 5.)

[²] Maysir “الْمَيْسِرِ”, que chamamos de jogos de azar, é mencionado junto com khamr em três versos (Al Baqarah 2/219, Al Maidah 5/90-91) Todos os jogos de azar com o objetivo de obter bens facilmente; isso inclui loterias, bingo e todos os tipos de jogos de azar.

[³] O ism (إِثْم) no versículo significa o comportamento que afasta a pessoa das boas ações e de sua estrutura natural (Mufradat). Khamr e jogos de azar afasta uma pessoa do Alcorão, da oração (Al Maidah 5/91) e de sua estrutura natural.

[⁴]  Em alguns casos, intoxicantes e jogos de azar podem render benefícios, mas seus danos são maiores do que seus benefícios.

[⁵] A palavra traduzida como “o sobejo” é “al-afw = العفــو.“ O sobejo depende tanto da situação econômica da pessoa que concede o zakat quanto do item que é gasto como zakat.

Perguntam-te pelo vinho(5) e pelo jogo de azar. Dize: “Há em ambos grande pecado e benefício para os homens e seu pecado é maior que seu benefício.” E perguntam-te o que devem despender. Dize: “O sobejo.” Assim, Allah torna evidentes, para vós, os sinais, para refletirdes

 (Dr. Helmi Nasr, 2015)

[¹] Por vinho entenda-se toda bebida inebriante. 

[²] Este versículo refere-se à primeira fase da proibição do vinho, imposta, paulatinamente, a todos os moslimes em geral, e de toda Península Árabe, em particular, onde seu uso era arraigado e generalizado. O Islão percebeu que uma proibição categórica e inicial não poderia lograr bons resultados. Por isso, agiu gradualmente, na enunciação destas prescrições. Na sura IV 43, ocorre a segunda delas; na V 90, a terceira e última, com a proibição categórica do vinho.

Interrogam-te a respeito da bebida inebriante[¹] e do jogo de azar[²]; dize-lhes: Em ambos há benefícios e malefícios para o homem; porém, os seus malefícios são maiores do que os seus benefícios. Perguntam-te o que devem gastar (em caridade). Dize-lhes: Gastai o que sobrar das vossas necessidades. Assim Deus vos elucida os Seus versículos, a fim de que mediteis,

 (Prof. Samir El Hayek, 1974)

[¹] Khamr: bebida; literalmente compreendida como significando o sumo fermentado da uva. É aplicada, por analogia, a todas as bebidas fermentadas, e, numa analogia mais intensa, a qualquer bebida ou droga tóxica. Poderá, possivelmente, haver algum benefício nela, mas o dano é maior do que o benefício, especialmente se considerarmos do ponto de vista social, bem como do individual.

[²] Maissar: jogo; literalmente, um meio de se conseguir algo, mui facilmente, usufruindo lucros, sem trabalhar para tal; daí, jogo. Esse é o princípio pelo qual o jogo é proibido. A forma mais familiar de jogo, entre os árabes, era a de tirar a sorte por meio de setas, constituindo o princípio da loteria; as setas eram marcadas e serviam ao mesmo propósito dos bilhetes de loteria de hoje. Setas marcadas eram retiradas de um saco. Algumas não possuíam marcas, e aqueles que as retiravam nada ganhavam. Algumas marcas indicavam prêmios, que podiam ser grandes ou pequenos. Tirar alguém polpudo quinhão, ou pequeno, ou nenhum, isso dependeria de pura sorte, a menos que houvesse fraude da parte de algumas pessoas envolvidas. O princípio no qual a objeção está baseada é: mesmo que não haja fraude, ganhamos aquilo que não merecemos pelo esforço, ou perdemos por mero azar. O dado e as apostas estão apropriadamente enquadrados na definição do jogo. Contudo, o expediente do Seguro não é considerado jogo, uma vez conduzido nos princípios negociosos. Aqui as bases dos cálculos constituem estatística em larga escala, da qual o mero azar é eliminado. Os próprios seguradores pagam bônus na proporção dos riscos, calculados exata e estatisticamente.

Interrogar-te-ão sobre o vinho e os jogos de azar. Responde: “Neles, há culpa grave e alguma utilidade para os homens. Mas neles, a culpa é maior que a utilidade.” E perguntarão: “O que deveremos gastar? ” Responde: “O supérfluo.” Assim Deus esclarece Suas revelações. Quiçá reflitais

(Mansour Challita, 1970)


Eles perguntam-te no que respeita a vinho e ao jogo de azar. Dize-lhes, ‘Em ambos há grande pecado e também algumas vantagens para os homens; mas o seu pecado é maior que a sua vantagem’. E eles perguntam-te o que devem despender. Dize-lhes: ‘Despendei o que não podeis poupar’. Assim vos torna Allah claros os seus mandamentos para que vós possais refletir.—

 (Iqbal Najam, 1988)


2- Al Baqarah

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 161 162 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 177 178 179 180 181 182 183 184 185 186 187 188 189 190 191 192 193 194 195 196 197 198 199 200 201 202 203 204 205 206 207 208 209 210 211 212 213 214 215 216 217 218 219 220 221 222 223 224 225 226 227 228 229 230 231 232 233 234 235 236 237 238 239 240 241 242 243 244 245 246 247 248 249 250 251 252 253 254 255 256 257 258 259 260 261 262 263 264 265 266 267 268 269 270 271 272 273 274 275 276 277 278 279 280 281 282 283 284 285 286