Islão e Alcorão
A Ligação Final Da Cadeia Da Revelação Divina

A Ligação Final Da Cadeia Da Revelação Divina

 

A Ligação Final Da Cadeia Da Revelação Divina

 

Os islamistas tradicionais consideram o Islã como uma religião diferente e distinta das revelações anteriores. O Alcorão, no entanto, se intitula como um livro confirmando os anteriores e completando a religião, ou seja, o Islã. O Islã, literalmente, submissão a Deus, é a única religião que foi comunicada a todos os profetas de Adão (as) a Muhammad (as):

“Para Deus a religião é o Islã.” (Al ‘Imran 03:19)

“Dizei: Cremos em Deus, no que nos tem sido revelado, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacó e às tribos; no que foi concedido a Moisés e a Jesus e no que foi dado aos profetas por seu Senhor; não fazemos distinção alguma entre eles, a Ele nos submetemos. (Nahnu lehu Muslimun)” (Al Bácara 2:136)

“Podeis acaso, afirmar que Abraão, Ismael, Isaac, Jacó e as tribos eram judeus ou cristãos?  Dize: Acaso, sois mais sábios do que Deus o é? Haverá alguém mais injusto do que aquele que oculta um testemunho recebido de Deus? Sabei que Deus não está desatento a quanto fazeis.” (Al Bácara 2:140)

“Moisés disse: Ó povo meu, se realmente credes em Allah, confiai-vos n‟Ele se sois submissos. (In kuntum Muslimin)” (Jonas 10:84)

O Alcorão Atesta a Confirmação dos Livros Divinos Anteriores:

Para evitar confusão de nomes e noções, primeiro precisamos fazer a seguinte explicação:

A palavra portuguesa “Torá” e a palavra hebraica “Tora = תּוֹרָה” referem-se aos cinco primeiros livros do Antigo Testamento, enquanto a palavra árabe “Taurat = توراة” mencionada no Alcorão, refere-se ao Antigo Testamento completo, ou em seu nome hebraico: “Tanakh = תַּנַ”ךְ”. Portanto, a palavra “Torá” nas seguintes traduções portuguesas de versos, refere-se ao Tanakh.
A palavra árabe “Injeel = إنجيل” mencionada no Alcorão se refere a “Evangelho” em Português, ou em seu nome grego: “Evangelion = εὐαγγέλιον”.

O Alcorão não nega ou desconsidera as Escrituras anteriores, mas atesta a confirmação para elas:

“Ele te revelou (ó Mohammad) o Livro (paulatinamente) com a verdade, corroborante dos anteriores, assim como havia revelado a Tora e o Evangelho.” (Al ‘Imran 3:3)

“Prescreveu-vos a mesma religião que havia instituído para Noé,   a qual te revelamos, a qual havíamos recomendado a Abraão, a Moisés e , a Jesus, (dizendo-lhes): Observai a religião e não discrepeis acerca disso.” (Ax-Xura 42:13)

A seguinte narração de Muhammad (a.s.) resume o que é o Islã e para qual propósito o Profeta Muhammad foi enviado:

“Jabir relatou o Mensageiro Muhammad (ﷺ) disse: A semelhança  minha com os profetas anteriores (nabi) é como uma pessoa que construiu uma casa e a completou e a tornou perfeita, exceto pelo espaço de um tijolo. As pessoas entraram nele e ficaram surpresos e disseram: Se houvesse um tijolo (teria sido completo em todos os aspectos). O Mensageiro de Allah (ﷺ) disse: Eu sou aquele lugar onde o tijolo (completa o edifício) deve ser colocado, e eu vim para finalizar a corrente dos Profetas (Nabi).” (Sahih Muslim, O Livro das Virtudes, 2287 a)

As Bases do Evangelho na Torá (Tanakh) e Jesus Cumpre a Torá:

Deus ensinou a Jesus tanto a Torá como o Evangelho, porque Jesus também foi enviado para confirmar e cumprir a lei anterior de Deus:

“(Maria) Perguntou: Ó Senhor meu, como poderei ter um filho, se mortal algum jamais me tocou?   Disse-lhe (o anjo): Assim será. Allah cria o que deseja, posto que quando decreta algo, basta dizer: Seja! e ele começa a existir. Ele (Deus) lhe ensinará o Livro, a sabedoria, a Tora e o Evangelho” (Al ‘Imran 3:47-48)

O mesmo princípio é mencionado também no Evangelho de Mateus. Jesus (as) disse:

“Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.
Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.”
(Mateus 5:19)

A Torá e o Evangelho Requerem Que Seus Crentes Cumpram O Alcorão:

Todos os profetas, com exceção do profeta final Maomé (as), foram prescritos para acreditar e apoiar o Profeta que foram enviados após eles mesmos. Então, a cadeia de revelação seria completada através dos esforços dos Apóstolos e dos crentes facilmente:

“Quando Allah aceitou a promessa dos profetas, disse-lhes: Eis o Livro e a sabedoria que ora vos entrego. Depois vos chega um Mensageiro/Livro 1que corrobora o que já tendes. Crede nele e socorrei-o. Então, perguntou-lhes: Concordai e comprometei-vos a fazê-lo?  Responderam: Comprometemo-nos. Disse-lhes, então: Testemunhai,  que Eu também serei, convosco, Testemunha disso.” (Al ‘Imran 3:81)

“São aqueles que seguem o Mensageiro, o Profeta iletrado, o qual encontram mencionado em sua Tora e seu Evangelho, o qual lhes recomenda o bem e lhes proíbe o ilícito,  prescreve-lhes todo o bem e veda-lhes o imundo, alivia-os dos seus fardos e livra-os dos grilhões que os deprimem. Aqueles que nele creram, honraram-no, defenderam-no e seguiram a Luz que com ele foi enviada, são os bem-aventurados.” (Al A’raf 7:157)

Aqueles que receberam as divinas Escrituras antes do Alcorão têm referências claras em seus livros sobre as qualidades do próximo livro, o Mensageiro e seus atos. Assim, eles poderiam facilmente reconhecer o Livro final que confirma as Escrituras em suas mãos:

“Dize-lhes: Quer creiais nele ou não, sabei que aqueles que antes receberam o conhecimento, quando lhos é recitado, caem de bruços, prostrando-se. Dizem: Glorificado seja o nosso Senhor,  porque a Sua promessa foi cumprida! Caem de bruços, chorando, e isso lhes aumenta a humildade.” (Al Isrá 17:107-109)

Por exemplo, o Evangelho tem uma seção que mostra que a direção da oração seria mudada de Jerusalém para outra direção, que se tornou realidade através da revelação do Alcorão:

“Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.  Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. “ (João 4:19-21)

O Alcorão Como a Ligação Final Da Cadeia Da Revelação Divina

O Alcorão é o Livro divino final que completa a cadeia de revelação da religião estabelecida por Deus, a religião que sempre se baseia na submissão a Deus, ou seja, o Islã:

(Ó, vocês que confiem em Deus!) “Hoje, completei a religião para vós; tenho-vos agraciado generosamente, e vos aponto o Islã (submissão total a Deus) por religião.” (Al Máida 5:3)

 

  1. A palavra “rasul = رسول” mencionada no versículo significa tanto “informação que é enviada” quanto “o mensageiro que entrega a informação enviada” (Mufradat, art. رسل). A informação é de maior valor do que o mensageiro e, portanto, o Deus Todo-Poderoso decretou: “Mohammad não é senão um Mensageiro, a quem outros mensageiros precederam. Porventura, se morresse ou fosse morto, voltaríeis à incredulidade?” (Al ‘Imran 3:144). A informação que o Mensageiro Muhammad (ﷺ) trouxe está reunida no Alcorão, e o “rasul” é o Alcorão próprio . Portanto, dependendo do contexto, a palavra “rasul” é traduzida como “o Livro de Deus” dentro deste trabalho, bem como “o Mensageiro de Deus”.

Posts

Most Viewed Posts