Islão e Alcorão
Homem e Natureza

O Homem e a Natureza

 

Todos os seres têm uma estrutura. Princípios e leis que formam melhorar e mudar o humano, animais e plantas expõem essa estrutura. Essa estrutura é chamada de “fitra”. As leis da ciência, tecnologia e relações humanas também são extraídas dessa estrutura.

A religião, por outro lado, regula as relações de homem com Deus, homem com homem e homem com a natureza. Princípios, leis e regras da religião também são compatíveis com a natureza (fitra). Deus ordena:

“Volta o teu rosto para esta religião, a natureza de Deus (à ordem natural) que Ele criou a humanidade. Não há nada para substituir o que Deus criou. Esta é a verdadeira religião; porém, a maioria dos humanos não sabem.” (Ar Rum 30:30)

A natureza (fitra) é aprendido com sinais que são criados, e que são reveladas por Deus. Tudo o que Deus cria é um sinal (ayat-verso). Allah, Glorificado seja, diz:

De pronto lhes mostraremos os Nossos sinais em todas as regiões, assim como em suas próprias pessoas, até que lhes seja esclarecido que ele é a verdade. Acaso não basta teu Senhor, Que é Testemunha de tudo? (Fússilat 41:53)

O ser humano sempre vê esses sinais, os considera e faz inferências em conformidade. Valores globais e intelecto também são formados dessa maneira. O ser humano continua internalizando essa informação ao longo de sua vida. Esta informação é chamada “zikr”. Lembrar-se e mencionar isso, também é chamado de “zikr”.

Essa informação está em harmonia perfeita com o livro de Deus. O nome comum dos livros sagrados é “zikr” também. Deus, Todo Poderoso, ordena o seguinte sobre o Alcorão:

“De fato, somos nós que enviamos o zikr (o Livro) e, com certeza, seremos seu Preservador.” (Al Hijr 15:9)

Portanto, todo ser humano que lê e entende o Alcorão vê a harmonia do zikr em si mesmo e o zikr no Alcorão. Assim, ele adquire sentimentos de completa segurança e satisfação para o Alcorão, não deixando nenhuma dúvida que este é o livro de Deus. Allah, Glorificado seja, diz:

 “Sabei que os corações sossegam somente pelo zikr de Deus” (Ar Ra’d 13:28)

O homem pode obter tanta informação quanto compreende os sinais de Deus, que existem na natureza e no Alcorão.

Outros seres que não humanos não podem se comportar contra a natureza (fitra). Como Deus cria o homem com razão, livre arbítrio e poder designado, ele pode se comportar contra a natureza. Esse comportamento corrompe suas relações a si mesmo, com as outras pessoas e o meio ambiente.

Benefícios, expectativas ou aspirantes são os principais instintos que os levam a se comportar assim. Em seguida, eles se acostumam a se comportar dessa maneira e não se sentem incomodados e até começam a se divertir. Mas quando eles pensam um pouco sobre isso, o desconforto oculto por dentro surge do nada. Allah, Glorificado seja, diz:

“A construção que eles construíram nunca cessará de ser uma causa de dúvida em seus corações, a menos que seus corações se despedacem. Sabei que Allah é Sapiente, Prudentíssimo.” (At Tauba 9:110)

Pecados são comportamentos contra a natureza. Boas ações são comportamentos que obedecem à natureza, mas são difíceis de executar. O homem sente dentro o que é errado e o que é certo. Deus ordena:

“Lhe inspirou o que é certo e o que é errado; Que será venturoso quem a (a alma) purificar, Desventurado quem a corromper.” (Ax Xams 91:8-10)

Quem quer que se comporte contra a natureza humana se sente desconfortável no começo. Então, ele desiste ou continua. Esse desconforto é porque Deus inspira a alma que ela se rebela. Este é um mecanismo de aviso que diz: “Você está fazendo errado!” Depois dessa rebelião, o homem sente-se ansioso, o que o leva a se arrepender.

“Taqwa” significa proteger-se dos erros. Comportamentos que atendem a taqwa aliviam a pessoa. Isso também é uma inspiração de Deus, que intui “sua autoproteção” para a alma.

Wabisa b. Mabad diz: “Eu cheguei ao mensageiro Muhammad e ele disse: ‘Você veio perguntar sobre retidão?’. Eu disse sim.’ Então ele bateu no peito três vezes com os dedos fechados e disse: “Wabisa, consulte seu coração, consulte-se! A bondade é o que o seu coração encontra a paz. O pecado é o que perturba o coração, a coisa que vagueia no peito, mesmo que as pessoas tenham lhe dado uma fatwa (veredicto) ou tenham achado a coisa que você faz aceitável. ”

“Não é dado a ser nenhum crer sem a anuência de Allah. Ele destina a abominação àqueles que não raciocinam.”  (Yunis 10:100)

Fonte da ciência também é fitra. Cientistas ou tecnólogos não criam leis, mas tentam descobrir as leis nos sinais/versos atuais. É assim que eles cumprem a criação (fitra). Alguns cientistas sociais também lêem os sinais corretamente e descobrem as leis, mas muitos deles preferem estabelecer regras e tentar moldar a sociedade. Essa atitude causa práticas que são contra as leis da criação no contexto social. Consequências prejudiciais disso se tornam aparentes no tempo, e o equilíbrio é interrompido.

Também é provável que corrompa o humano e o meio ambiente usando os resultados obtidos através da ciência e tecnologia contra a criação. De fato, tais desastres são abundantes hoje em dia. Allah, Glorificado seja, diz:

“A corrupção surgiu na terra e no mar por causa do que as mãos dos humanos lucraram. E (Allah) os fará sentir o gosto do que cometeram. Quiçá assim se abstenham disso.” (Ar Rum 30:41)

Nenhuma decisão do Alcorão contradiz a natureza (fitra), porque fitra é o Islã. A natureza e o Alcorão devem ser bem utilizados para expor um ao outro. Se algum conflito surgir, isso deve ser devido a não estar em conformidade com o Livro.

 

Posts

Most Viewed Posts