Responder aos Atos ou Palavras Blasfemas

Como os muçulmanos devem responder a atos ou palavras blasfemas contra Allah, o Islã ou os muçulmanos?

Responder aos Atos ou Palavras Blasfemas

A atitude comandada contra não-muçulmanos no Alcorão é a seguinte:

لَتُبْلَوُنَّ فِي أَمْوَالِكُمْ وَأَنفُسِكُمْ وَلَتَسْمَعُنَّ مِنَ الَّذِينَ أُوتُواْ الْكِتَابَ مِن قَبْلِكُمْ وَمِنَ الَّذِينَ أَشْرَكُواْ أَذًى كَثِيرًا وَإِن تَصْبِرُواْ وَتَتَّقُواْ فَإِنَّ ذَلِكَ مِنْ عَزْمِ الأُمُورِ

“Sem dúvida que sereis postos à prova quanto aos vossos bens e pessoas, e também ouvireis muitas coisas que vos entristecerão daqueles que receberam o Livro antes de vós, e dos idólatras; porém, se perseverardes pacientemente e temerdes a Allah, sabei que isso é um fator determinante, em todos os assuntos.” (Ál ‘Imran | A Família de Imran 3:186)

Aprendemos com os seguintes versículos sobre como se comportar em tais casos:

وَلَا تَسْتَوِي الْحَسَنَةُ وَلَا السَّيِّئَةُ ادْفَعْ بِالَّتِي هِيَ أَحْسَنُ فَإِذَا الَّذِي بَيْنَكَ وَبَيْنَهُ عَدَاوَةٌ كَأَنَّهُ وَلِيٌّ حَمِيمٌوَمَا يُلَقَّاهَا إِلَّا الَّذِينَ صَبَرُوا وَمَا يُلَقَّاهَا إِلَّا ذُو حَظٍّ عَظِيمٍوَإِمَّا يَنزَغَنَّكَ مِنَ الشَّيْطَانِ نَزْغٌ فَاسْتَعِذْ بِاللَّهِ إِنَّهُ هُوَ السَّمِيعُ الْعَلِيمُ

“Jamais poderão equiparar-se a bondade e a maldade! Repele (ó Mohammad) o mal da melhor forma possível, e eis que aquele que nutria inimizade por ti converter-se-á em íntimo amigo! Porém a ninguém se concederá isso, senão aos tolerantes, e a ninguém se concederá isso, senão aos que possuem magnífica sorte. Quando Satanás te incitar à discórdia, ampara-te em Allah, porque Ele é o Oniouvinte, o Sapientíssimo.” (Fússilat | Os Detalhados 41:34-36)

Apesar de certas decisões nos versos, todas as seitas concordam em executar como sendo a punição de blasfemar do Profeta (s.a.w.). Os veredictos de morte são dados com base nesta TRADIÇÃO.

Versos que expressam claramente as relações entre muçulmanos e não muçulmanos estão abaixo:

لَا يَنْهَاكُمُ اللَّهُ عَنِ الَّذِينَ لَمْ يُقَاتِلُوكُمْ فِي الدِّينِ وَلَمْ يُخْرِجُوكُم مِّن دِيَارِكُمْ أَن تَبَرُّوهُمْ وَتُقْسِطُوا إِلَيْهِمْ إِنَّ اللَّهَ يُحِبُّ الْمُقْسِطِينَ إِنَّمَا يَنْهَاكُمُ اللَّهُ عَنِ الَّذِينَ قَاتَلُوكُمْ فِي الدِّينِ وَأَخْرَجُوكُم مِّن دِيَارِكُمْ وَظَاهَرُوا عَلَى إِخْرَاجِكُمْ أَن تَوَلَّوْهُمْ وَمَن يَتَوَلَّهُمْ فَأُوْلَئِكَ هُمُ الظَّالِمُونَ

“Allah nada vos proíbe quanto àqueles que não vos combateram pela causa da religião e não vos expulsaram dos vossos lares, nem que lideis com eles com gentileza e equidade, porque Allah aprecia os equitativos. Allah vos proíbe apenas entrardes em privacidade com aqueles que vos combateram na religião, expulsaram-vos dos vossos lares ou que cooperaram na vossa expulsão. Em verdade, aqueles que entrarem em privacidade com eles serão injustos.” (Al Mumtahana | A Examinada 60:8-9)

Segundo os versos, existem três linhas críticas que proíbem as relações amigáveis com os não-muçulmanos:

1. Luta contra os muçulmanos devido à sua religião.
2. Conduzindo os muçulmanos para fora de suas casas.
3. Apoiar aqueles que expulsam os muçulmanos.

Não podemos fazer amizade ou demonstrar simpatia aos que atravessam essas linhas.
Enquanto essas três linhas não forem cruzadas, devemos ser pacientes com atitudes erradas de não-muçulmanos e anunciar-lhes que estão fazendo um erro de forma pacífica.
Se eles atravessam as linhas vermelhas, as relações amigáveis terminam. No entanto, isso ainda não é um ato de guerra. O versículo que manda a batalha é o seguinte:

وَقَاتِلُواْ فِي سَبِيلِ اللّهِ الَّذِينَ يُقَاتِلُونَكُمْ وَلاَ تَعْتَدُواْ إِنَّ اللّهَ لاَ يُحِبِّ الْمُعْتَدِينَ

“Combatei, pela causa de Allah, aqueles que vos combatem; porém, não pratiqueis agressão, porque Allah não estima os agressores.” (Al Bácara | A Vaca 2:190)

O verso abaixo que expõe a regra da guerra:

الشَّهْرُ الْحَرَامُ بِالشَّهْرِ الْحَرَامِ وَالْحُرُمَاتُ قِصَاصٌ فَمَنِ اعْتَدَى عَلَيْكُمْ فَاعْتَدُواْ عَلَيْهِ بِمِثْلِ مَا اعْتَدَى عَلَيْكُمْ وَاتَّقُواْ اللّهَ وَاعْلَمُواْ أَنَّ اللّهَ مَعَ الْمُتَّقِينَ

“Se vos atacarem no mês sagrado, combatei-os no mesmo mês, e todas as profanações serão castigadas com a pena de talião. A quem vos agredir, rechaçai-o, da mesma forma; porém, temei a Allah e sabei que Ele está com os que O temem.” (Al Bácara | A Vaca 2:194)

Esta visão da religião sem Alcorão e Sabedoria deve ser deixada de fora, e o Islã deve ser apresentado como fonte de soluções para a humanidade. Allah Todo-Poderoso decreta:

إِنِّي لَكُمْ رَسُولٌ أَمِينٌ فَاتَّقُوا اللَّهَ وَأَطِيعُونِوَمَا أَسْأَلُكُمْ عَلَيْهِ مِنْ أَجْرٍ إِنْ أَجْرِيَ إِلَّا عَلَى رَبِّ الْعَالَمِينَأَتَبْنُونَ بِكُلِّ رِيعٍ آيَةً تَعْبَثُونَ

“Sabei que sou, para vós, um mensageiro digno de toda confiança. Temei, pois, a Allah, e obedecei-me! Não vos exijo, por isso, recompensa alguma, porque a minha recompensa virá do Senhor do Universo. Erguestes um marco em cada colina para vos divertirdes?” (Ach Chu’ará | Os Poetas 26:125-128)