A Discriminação Positiva em Favor das Mulheres

A Discriminação Positiva em Favor das Mulheres

A Discriminação Positiva em Favor das Mulheres

Quando os ocidentais saíram da essência do cristianismo, que se deslocou da sua linha essência, em alguns assuntos eles se dirigiram para verdades universais, ou seja, suas fitrah (natureza humana). Isso foi bastante adequado para o Alcorão e a linha Sunnah. Porque Allah, Glorificado seja, colocou a descrição de sua justa religião nesse versículo:

“Volta o teu rosto para a religião monoteísta.  É a obra de Allah, sob cuja qualidade inata Allah (fitratAllah) criou a humanidade.  A criação feita por Allah é imutável.  Esta é a verdadeira religião; porém, a maioria dos humanos o ignora.” (Ar Rum 30/30)

Então, a verdadeira religião é fitrah, que é, as leis inteiras validas para todas as criaturas. Essas leis são aprendidas com os versos enviados e versos criados. Os versos enviados são aqueles no Alcorão. Os versos criados são todos seres vivos e inanimados. Aqui os ocidentais alcançaram algumas verdades lendo algo dos versos criados. Um deles é proteger as mulheres, ou seja, a discriminação positiva em favor das mulheres. Allah, Glorificado seja, protege as mulheres e diz:

“…As boas mulheres são as devotas, se protegem quando estão sozinhas em troca da proteção de Allah por elas…” (An Nissá 4/34)

Os seguintes versículos podem ser dados como exemplo das paredes de proteção para mulheres:

“Quanto àquelas, dentre vossas mulheres, que tenham incorrido em adultério, apelai para quatro testemunhas…” (An Nissá 4/15)

“E àqueles que difamarem as mulheres castas, sem apresentarem quatro testemunhas, infligi-lhes oitenta chicotadas e nunca mais aceiteis os seus testemunhos, porque são depravados.” (An Nur 24/4)

“E aqueles que difamarem as suas esposas, sem mais evidência que a deles próprios, que um deles jure quatro vezes por Allah que ele está dizendo a verdade. E na quinta vez pedirá que a maldição de Allah caia sobre ele, se for perjuro. E ela se libertará do castigo, jurando quatro vezes por Allah que ele é perjuro. E na quinta vez pedirá a incidência da abominação de Allah sobre si mesma, se ele estiver dizendo a verdade. (An Nur 24/6-9)

“Aqueles que lançam a calúnia (sobre Aisha, a esposa de Mensageiro de Allah) constituem uma legião entre vós; não considereis isso coisa ruim para vós; pelo contrário, é até bom.  Cada um deles receberá o castigo merecido por seu delito, e quem os liderar sofrerá um severo castigo. Por que, quando ouviram a acusação, os crentes, homens e mulheres, não pensaram bem de si mesmos e disseram: É uma calúnia evidente? Por que não apresentaram quatro testemunhas?  Se não as apresentarem, serão caluniadores ante Allah.” (An Nur 24/11-13)

Como é visto, Deus dá grande importância à honra e à castidade, e proíbe até se aproximar do zina (adultério), colocou quatro a condição de quatro testemunhos para o julgamento do adultério cometido contra as mulheres, e determinou que aqueles que não podem trazer testemunhos são considerados caluniador e vão ser punidos.   E Ele ordenou o seguinte para que as mulheres não abusem disso:

“…As boas mulheres são as devotas, se protegem quando estão sozinhas em troca da proteção de Allah por elas…” (An Nissá 4/34)

Não há proteção para os homens a este respeito. Nos livros fiqh todos os veredictos sobre os homens são colocados comparando veredictos sobre as mulheres.

Os ocidentais descobriram que as mulheres merecem a discriminação positiva, mas porque eles preferem benefícios a curto prazo sobre os benefícios a longo prazo, eles não consideraram o adultério como crime e eles fizeram maldade assim contra as mulheres. Não há nada que possamos obter com eles em tais assuntos porque eles confundem o mal com o bem.

Eles parecem mais desenvolvidos porque leem o livro que Deus criou, o que significa as criaturas e aplicam as coisas que leem desse livro. Mas, como não o leem com o Livro que Allah revelou, eles se depararam com a perda de tudo hoje.

E os muçulmanos já faz tempo que deixaram a leitura de entender o Alcorão. Uma das falácias em que o mundo islâmico caiu é não ler o livro de criatura que foi feito por Deus, e isso leva as mulheres a dificuldades também. Por exemplo, segundo a escola tradicional do fiqh, se uma mulher for estuprada e reclama sobre isso, ela deve trazer quatro testemunhos. Caso contrário, ela é considerada uma caluniadora, e ela é infligida a oitenta chicotadas e ela é aceitada como testemunha. Porque os muçulmanos colocaram as interpretações dos jurisprudentes diante do Alcorão e da Sunnah e tornaram as coisas favoráveis das mulheres contra elas.

Em resumo, não é possível melhorar o estado das mulheres com mudanças de constituições e leis sem purificar a mente humana.

Prof. Dr. Abdülaziz Bayındır

By | 2018-01-15T16:42:15+00:00 11/01/2018|Categories: Mulher, Pesquisa|Tags: , , |