Álcool e Derrota de Uhud

A Batalha de Uhud foi perdida porque os Companheiros beberam?

Álcool e Derrota de Uhud

Sabe-se que muitos dos Companheiros bebiam antes de as bebidas alcoólicas haviam proibidas. No entanto, após os versos que tornavam a bebida proibida, os companheiros abandonaram a bebida com uma ou duas exceções. Mas não é verdade que a batalha de Uhud tenha sido perdida por causa dos Companheiros bêbados.

“Algumas pessoas (muçulmanos) foram mortas (durante a batalha de Uhud) enquanto o vinho estava em seus estômagos”. “Então Deus revelou: Os fiéis que praticam o bem não serão reprovados pelo que comeram (anteriormente, mas coisas ilícitas) 5:93”

Kamil Midas diz o seguinte na tradução e explicação de Tecrid-i Sarih:

“Alguns Companheiros beberam até madrugada. Bebidas alcoólicas ainda não foram proibidas naquele dia. Uma das razões do fiasco de Uhud foi esse vício. E depois de Uhud foi absolutamente proibido.” (Ahmet Naim, Kamil Miras: Sahih-i Bukhari Mukhtar e Tecrîd-i Sarih Tradução e Interpretação, Diretoria de Assuntos Religiosos, 2. bs., Ancara, 1972, v: 11, p: 96. Descrição do hadice numerada 1698 )

Como pode ser visto na explicação, uma das razões é que alguns dos companheiros beberam. Portanto, não é correto dizer que a batalha de Uhud foi perdida por causa dos companheiros que beberam, ignorando as outras razões. Os detalhes da batalha de Uhud e as razões para a derrota após a vitória foram explicados por Allah Todo-Poderoso na Surata Al ‘Imran como o seguinte:

“Recordar-te (ó Mensageiro) de quando saíste do teu lar, ao amanhecer, para assinalar aos fiéis a sua posição no campo de batalha. Sabe que Deus é Oniouvinte, Sapientíssimo.

De quando dois grupos dos teus pensaram em acovardar-se, apesar de ser Deus o seu Protetor. Que a Deus se encomendem os fiéis.

Sem dúvida que Deus vos socorreu em Badr, quando estáveis em inferioridade de condições. Temei, pois, a Deus e agradecei-Lhe.

De quando disseste aos fiéis: Não vos basta que vosso Senhor vos socorra com o envio celestial de três mil anjos?

Sim! Se fordes perseverantes, temerdes a Deus, e se vos atacarem imediatamente, vosso Senhor vos socorrerá, com cinco mil anjos bem treinados.

Deus não o fez como anúncio para vós, a fim de sossegar os vossos corações. Sabei que o socorro só emana de Deus, o Poderoso, o Prudentíssimo.

Assim o fez para aniquilar uma falange de incrédulos e afrontá-los, fazendo com que fugissem frustrados.” (Al ‘Imran | A Família de Imran 3:121-127)

“Quando receberdes algum ferimento, sabei que os outros já sofreram ferimento semelhante. E tais dias ( de infortúnio) são alternados, entre os humanos, para que Deus Se assegure dos fiéis e escolha, dentre vós, os mártires; sabei que Deus não aprecia os iníquos.

E (assim faz) Deus para purificar os fiéis e aniquilar os incrédulos.” (Al ‘Imran | A Família de Imran 3:140-141)

“Deus cumpriu a Sua promessa quanto, com a Sua anuência, aniquilastes os incrédulos, até que começastes a vacilar e disputar acerca da ordem e a desobedecestes, apesar de Deus vos Ter mostrado tudo o que aneláveis. Uma parte de vós ambicionava a vida terrena, enquanto a outra aspirava à futura. Então, Deus vos desviou dos vossos inimigos, para provar-vos; porém, Ele vos indultou, porque é Agraciante para com os fiéis.

Recordai-vos de quando subistes a colina às cegas, enquanto o Mensageiro ia pela retaguarda, incitando-vos ao combate. Foi então que Deus vos infligiu angústia após angústia, para ensinar-vos a não lamentardes pelo que haveis perdido, nem pelo que vos havia acontecido, porque está bem inteirado de tudo quanto fazeis.

Logo depois da angústia, infundiu-vos uma calma sonorífera, que envolveu alguns de vós, enquanto outros,, preocupados consigo próprios, puseram-se a conjecturar ignomínias acerca de Deus, como na era da idolatria, dizendo: Tivemos, acaso, alguma escolha? Responde-lhes: A escolha pertence inteiramente a Deus! E eis que eles guardam para si o que não te manifestam, dizendo (mais): Se houvéssemos tido escolha, não teríamos sido chacinados. Dize-lhes: Sabei que, mesmo que tivésseis permanecido nas vossas casas, certamente, àqueles dentre vós, aos quais estava decretada a morte, esta apareceria, no local de sua morte. Isso, para que Deus comprovasse o que ensejáveis e purificasse o que havia em vossos corações; sabei que Deus conhece dos peitos as intimidades.

Aqueles que desertaram, no dia do encontro dos dois grupos, foram seduzidos por Satanás pelo que haviam perpetrado; porém Deus os indultou porque é Tolerante, Indulgentíssimo.” (Al ‘Imran | A Família de Imran 3:152-155)

“Qual! Ando sofreis um revés do adversário, embora inflijais outro duas vezes maior, dizeis: Donde nos provém isto? Responde-lhes: De vós mesmos. Sabei que Deus é Onipotente.

O que vos aconteceu, no dia do encontro das duas hostes, aconteceu com o beneplácito de Deus, para que se distinguissem os verdadeiros fiéis;

E também se distinguissem os hipócritas, aos quais foi dito: Vinde lutar pela causa de Deus, ou defender-vos. Disseram: Se soubéssemos combater, seguir-vos-íamos! Naquele dia, estavam mais perto da incredulidade do que da fé, porque diziam, com as suas bocas, o que não sentiam os seus corações. Porém, Deus bem sabe tudo quanto ocultam.

São os que, ficando para trás, dizem de sues irmãos: Se nos tivessem obedecido, não teriam sido mortos! Dizelhes: Defendei-vos da morte, se estiverdes certos.” (Al ‘Imran | A Família de Imran 3:165-168)

Especialmente quando ler os versículos 152-155 cuidadosamente, as causas da derrota são claramente vistas nesses versos.